FIRST THINGS FIRST


Com certeza você conhece alguma pessoa que transmite a impressão de que “mora” no trabalho. ⠀ Quando você chega para trabalhar ela já está lá e no fim do expediente ela fica por mais algumas horas para terminar as tarefas do dia; ⠀ Você não conhece alguém assim? Ou essa pessoa é você mesmo? ⠀ Caso a resposta dessa pergunta seja positiva, a situação é ainda mais grave! ⠀ Mas calma, eu já fui assim também. Há pouco tempo, devido ao meu amor pelo trabalho e pelo fato de uma de minhas empresas ter crescido em um curto espaço de tempo, resolvi me dedicar 100% (cem por cento) ao meu trabalho. ⠀⠀ Sim, foi isso mesmo. Tive uma empresa que geri por quase 10 anos, na qual eu comparecia diariamente e pontualmente às 5 da manhã e ficava até o fim da noite justificando a mim e à minha esposa que o meu negócio não poderia subsistir sem minha supervisão e administração direta! “O Gado só engorda aos olhos do dono”, certo? ⠀ Errado! Ao contrário dos benefícios que pensei que obteria (baseados em meu próprio esforço), passei a ter constantes dores de cabeça, perdas repentinas de memória e a sensação de cansaço constante. ⠀ O pior é que embora os negócios fossem “de vento e polpa” parei de ler como de costume e fazia refeições apenas quando sentia fome, além de ter desistido da academia. Foi um período muito desgastante, embora acreditasse que fosse o melhor para os negócios. ⠀⠀⠀ Por qual razão compartilho isso com você? ⠀ ⠀ Nós empreendedores nos preocupamos, quase sempre, em priorizar o tempo que possuímos apenas para gerir nossos negócios nos esquecendo dos cuidados essenciais que não devem ser deixados de lado como nossa saúde e nosso desenvolvimento pessoal. ⠀⠀ Nosso trabalho não deve estar em primeiro lugar mas sim estar em nossas vidas como as demais necessidades e atividades existentes. ⠀⠀ ⠀⠀ Se você tem passado tempo demais no trabalho e não tem conseguido se divertir, sair com os amigos ou até mesmo assistir netflix, te dou um conselho: Repense suas prioridades e gerencie melhor o seu tempo, que aliás, não volta!

1 visualização0 comentário

Copyright © 2020 Weber Caldeira Cunha Rodrigues.